Publicado por: Viajante da Imensidao | setembro 13, 2008

Um Domingo com Keli

Keli acordou apressada e ainda muito sonolenta, ligou a tv e foi para o chuveiro. Somente quando estava no banho é que se lembrou que era domingo e não precisaria ir para o trabalho, se tivesse percebido um pouquinho antes não teria nem sequer levantado da cama. Mas como já estava no banho resolveu que iria a igreja, a muito tempo que não ia a igreja, talvez fosse até bom ela ter acordado logo cedo em pleno domingo. Vestiu aquele vestido que a muito tempo não saia do armário, mas que tinha ganhado de aniversário de sua querida irmã. Olhou no relógio era 06:50, ainda tinha um tempinho e passou na panificadora do Seu Joel pra comer alguma coisinha, pois o que ela nunca ficava sem é o seu precioso café da manhã. Chegou na igreja ainda faltava alguns minutos para o inicio do serviço religioso, entrou meio estranha, sentou-se e sentiu como se todo mundo tivesse olhando pra ela, logo percebeu que era pura impressão e relaxou. Começou o serviço e logo teve a apresentação de um coral que cantou uma música muito bonita, nesse momento Keli sentiu uma grande sensação de paz que lhe faltava devido a grande correria do seu dia-a-dia. Ao observar melhor as pessoas presentes ela reparou que Paula estava sentada num banco da frente, era sua grande amiga de infância e que agora mal se cumprimentavam, não por estarem brigadas, era mais por falta de atenção que uma amizade exige. E ela pensou o quanto as pessoas se tornam frias e solitárias em busca de sucesso profissional e uma boa condição financeira, ela mesmo se tornara dependente desse sistema, vivia mais voltada para o trabalho que qualquer outra coisa. La na frente o dirigente estava dando um sermão sobre amar as coisas simples da vida, deixar de observar somente o óbvio e atentar para todas as maravilhas que cercam o nosso cotidiano , não passar pela vida no “piloto automático”, viver a vida com mais muito mais força vontade. Certamente o “piloto automático” a estava guiando a muito tempo, sua vida havia se transformado em uma rotina interminável. Decidiu que hoje falaria mais que um simples ‘oi’ para a Paula, iria por em prática o sermão desde já. Mais algumas músicas a qual Keli cantou com muito louvor e o serviço chegou ao fim. Em meio de tantas pessoas, ela só fixava os olhos em Paula, não sairia sem a tentativa de uma reaproximação, passou por entre algumas pessoa e logo estava frente a frente com Paula.

– Oi, como você está? – perguntou Keli

– Oi, que surpresa você por aqui. Estou bem e você? – disse Paula


E dessa vez rolou até beijinhos, iniciativa da Keli é claro, e o comentário “que surpresa você por aqui” foi ótimo, também não precisava esculachar né, mas tudo bem.


– Estou bem. Pois é, quem é vivo sempre aparece.- falou Keli

– Verdade – respondeu Paula


A conversa já tava caminhando pro lado chato, começando a ficar sem assunto. Keli teve a idéia e ousadia de convidar Paula pra almoçar no seu pequeno apartamento.


– Paula vamos almoçar lá em casa e aproveitar pra colocar a conversa em dia? – convidou Keli


Paula hesitou um pouco, mas por fim cedeu.

– Vamos sim – respondeu Paula


Desceram as duas rumo ao antigo edifício, aproveitaram para passar na mercearia e comprar alguma coisa pra complementar o “banquete”. Prepararam o almoço juntas, conversaram muito e descobriram que ainda tinham muita coisa em comum, riram e brincaram como crianças, assistiram filmes e até trocaram novos segredinhos. Quando Paula se foi, Keli ficou pensando o quanto tinha sido maravilhoso o seu dia, foi a igreja e ainda conseguiu conquistar novamente a amizade de Paula, a qual tiveram uma tarde cheia de brincadeiras e alegria. Resumindo o seu domingo não poderia ser melhor, nesse momento agradeceu a Deus por te-la despertado tão cedo em pleno dia de folga e disse a si mesma “os caminhos de Deus em nossas vidas é maravilhoso”.


* Keli é um personagem criado por Viajante da Imensidão, ao longo desse blog será apresentado contos com ela passando por diferentes situações do dia-a-dia.

Anúncios

Responses

  1. Oi !!como sempre seu blog,me deixa tao bem, me faz refletir na vida,por coincidencia,tenho uma gde amiga de infancia, Paula, mora em outra cidade agora,mas era uma amizade linda, ma a vida, o piloto automático nos afastou..qm sabe um dia, nao nos encontremos por aí!!
    tenha uma semana linda !!bjao

  2. Keli é o nome da minha irmã (rs) na verdade ela se chama Jaqueline mas, só a chamamos de Keli. Eu estou passando por uma situação parecida com a da tua personagem Keli. Faz um bom tempo que eu não vou à escola dominical mas, é porque no mesmo horario eu acompanho meu pai nas reuniões de alcoólicos anônimos. Estou pensando em fazer assim: Um domingo vou à igreja e o outro vou à reunião. Sinto falta da escola dominical, tenho que certeza que vou reencontrar muitas pessoas especiais, vou aprender muito. Não devemos jamais deixar Deus em segundo plano!

    Beijinhos!

  3. Estar de bem com a vida é tão simples né? Basta ter o coração aberto… Bjs

  4. Tô sentindo que Keli terá uma vida relativamente diferente dos demais.
    Corrija-me se eu tiver viajado na imensidão.

    Boa terça;

  5. Belo conto… aguardo as novas aventuras de Keli.

    Obrigada pelo lindo comentário que encheu meu coração de alegria!

    Beijo Karinhoso!

  6. Como essa tal de Keli é feliz! ^^

  7. Ainda bem que existem “Domingos” nas nossas vidas 🙂

  8. Muito legal este conto.Adorei!

  9. Adorei o seu conto.Lindo

  10. Muito obrigada pela visita.Adorei seu conto.Vc está me saindo um belo contista!Parabéns!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: